Conheça e entenda os conceitos da osteopatia

“O Osteopata é um profissional diferenciado com grande capacidade de resolução, seguro da sua ação terapêutica e com grande conhecimento da medicina holística” – Dr. Antonio J. Docusse Filho.

A osteopatia é um sistema de cuidados com a saúde que reconhece que a autocura e a habilidade de autorregular o corpo, dependem de determinado número de fatores, incluindo condições favoráveis do meio ambiente, nutrição adequada e integridade estrutural normal.

“Dá ênfase especial a importância mecânica do corpo e utiliza técnicas para detectar e corrigir estruturas e funções imperfeitas” – Leon Chaitow.

Principios da Osteopatia

A estrutura governa a função

Isso significa que qualquer modificação na estrutura, alterará algum aspecto da função e inversamente, qualquer alteração na função, resultará em mudanças estruturais. Existem mudanças na estrutura que são irreversíveis como exemplo, a lesão medular. Quando existe algo que não pode ser mudado por meio de técnicas manuais, a Osteopatia é ineficiente. Depende que a estrutura esteja intacta ou que aceite modificações (a estrutura citada entende que seja todo tecido orgânico que compõe o corpo humano como músculos, ossos, ligamentos, nervos, vasos, articulações, fáscias e vísceras).

Autocura

A Osteopatia reconhece que dentro do corpo existe uma tendência constante em direção à saúde. O corpo humano busca se autorregular ou autocurar quando é atacado por algum processo patológico. O corpo está sempre em busca da homeostase ou equilíbrio. Portanto, quando há uma manipulação osteopática, o corpo sofre um ajuste e leva um tempo para se adaptar novamente.

Segmento Facilitado

Permite-nos entender como uma disfunção pode gerar sintomas à distância ou como tecidos que aparentemente não fazem parte da disfunção, poderão vir a sofrer sintomas.

Lei da Artétia de Still

Para que tenhamos uma estrutura saudável e funcional, há necessidade do recebimento de um bom aporte sanguíneo e um bom influxo de nervos. É preciso que nervos e artérias estejam desbloqueadas e tenham passagens livres para todos os tecidos, e a partir do momento que isso falha, a região onde está com déficit de irrigação sanguínea e nervosa, começa a adoecer, gerando na lesão (produto final da disfunções).