Será que você precisa de uma podóloga?

A podóloga está habilitada para tratar diversos problemas relacionados com as unhas e saúde dos pés. Conheça as queixas mais frequentes em nosso consultório e que a podologia pode resolver.

1- Unhas frágeis: qualquer situação em que o estado nutricional, hormonal ou estado de saúde geral da pessoa esteja alterado, pode se refletir nas unhas gerando fragilidade. Logo as unhas são um termômetro da saúde do corpo. Uma forma especial de fragilidade das unhas é o descolamento das porções superficiais (onicosquizia). Esta forma pode ter várias causas, as mais frequentes são excesso de produtos químicos (principalmente esmaltes e bases) e muito contato com a água.

2- Descolamento da unha (onicólise): onicólise é o descolamento de toda a unha do leito ungueal. Várias são as causas: doenças próprias da unha, micoses, alergia a remédios. Porém, a principal causa é o trauma. Seja o trauma repetitivo por uso de calçados apertados, trauma agudo e, mais comumente, trauma pela limpeza excessiva feita pela própria pessoa ou por manicures ou podólogos.

3- Micose da unha (onimicose): micose é uma infecção que atinge as unhas, causada por fungos. As unhas mais comumente afetadas são as dos pés, pois o ambiente úmido, escuro e aquecido dos sapatos e tênis favorece o seu crescimento. Além disso, a queratina, substância que forma as unhas, é o “alimento” dos fungos.

Existem quatro tipos clássicos de micose de unhas:
– Micose de unha nas laterais e abaixo da unha: Este é o tipo mais comum de onicomicose. As manchas começam a aparecer perto da parte branca da unha e nas áreas laterais, progredindo até a parte de baixo da unha (leito subungueal). A unha, ao longo do tempo, pode tornar-se opaca, espessada, quebradiça e frágil, podendo chegar a levantar a pele. A pele ao redor da unha é quase sempre afetada por micose do pé.

– Micose de unha superficial branca: Causada por invasão de fungos nas camadas superficiais da unha, formando manchas brancas. Representa apenas 10% dos casos de micose de unha.

– Micose de unha proximal: é muito rara e geralmente ocorre em pacientes imunocomprometidos como pacientes com HIV, diabetes ou doença vascular periférica. É normalmente uma infecção por dermatófitos. Apresenta-se com manchas brancas que se expandem pela unha. Costuma estar presente concomitantemente o pé-de-atleta.

Cândida onicomicose: espécies de Cândida invadem as unhas. Geralmente ocorrem em pessoas que ficam com as mãos ou pés muito tempo na água.

4- Unha encravada: ocorre quando uma das pontas das unhas encrava na pele ao seu redor. Isto acontece porque a pele forma uma barreira ao crescimento da unha e, como ela não para de crescer e é mais dura, perfura a pele causando dor e inflamação. A causa é, geralmente, o hábito errado de se cortar os cantos das unhas. Isto causa a formação de uma espícula na ponta cortada e permite que, com o peso do corpo, a pele que antes estava embaixo da unha se projete para cima e entre na frente da mesma. Ao crescer, a unha encrava neste local. O uso de sapatos de pontas finas também facilita o encravamento das unhas. Em crianças recém-nascidas o uso de macacões com pés fechados também podem ocasionar o problema se não forem bem folgados. Os dedos mais atingidos são os dos pés, principalmente os “dedões” e as unhas encravam quase sempre pelos cantos. O quadro se inicia com dor local que vai aumentando de intensidade e pode se tornar insuportável. A pele ao redor da unha fica inflamada, inchada e avermelhada, podendo existir eliminação de pus e formação de um granuloma piogênico (carne esponjosa).